23.6.14

ao sabor do vento





há coisas que nunca vou compreender.
nem nunca vou aceitar, apenas deixo ir...



Sem comentários: