do tempo que passou.





Hoje recordei a minha adolescência  que não está assim tão longe quanto isso, mas a idade adulta já 'pesa' e já sinto grandes diferenças tanto nos objectivos como naquilo que me tornei.
Eu nunca fui a popular, a mais bonita, a mais inteligente. Sempre fui aquela que me dava com todos, mais não pertencia exactamente a nenhum sitio,  a mais esforçada, a mais independente e menos preocupada com o que os outros pensavam. Eu sempre fui muito eu, muito "dona de mim", sempre prezei as verdadeiras amizades que ainda permanecem até hoje. sempre fui desbocada, com o coração ao pé da boca, coisa que nem sempre corria bem. eu sempre fui muito menina, mas também muito mulher, porque a vida me fez crescer demasiado rápido. eu cresci a saber que há sonhos impossíveis  mas, apesar de tudo, podemos tornar a vida mais fácil. eu desabafava comigo e chorava sorria. eu sorria e ria muito com eles, eu tenho saudades dessa inocência 'parva' que nos caracterizava e nos fazia acreditar. eu sempre achei que seria uma pessoa do mundo, que seria a mais independente e hoje muitas das coisas que eu acreditava tornaram-se reais.
Sou muito independente, continuo dedicada e esforçada, divido o meu tempo com tudo o que eu gosto, por muito dura que a vida foi ensinou-me a ser mais perseverante e a não esperar nada de ninguém, simplesmente deixar as coisas acontecerem, continuo a não ter medo do amanhã e a ter muita fé. Provavelmente  daqui a uns anos vou ler este texto e pensar que eu era uma tolinha.




Comentários

Bárbara Silva disse…
Então a prancha do Pingo Doce é realmente boa e só custa 20€ ? Mas tu tens qual ? A que só alisa ou aquela que tem vários acessórios ?
Não sei qual comprar, o meu cabelo é ondulado e comprido. E eu gostava de ter uma para fazer aqueles caracóis bonitos nas pontas e até ondas mais definidas :)
Bárbara Silva disse…
Mas a que tem os acessórios para o cabelo também alisa, certo ? :)

Mensagens populares